domingo, 21 de outubro de 2012

Salve  a Escola Profissional de Menores e a Escola Parque em Jequié-BA

O objetivo principal deste blog é falar de literatura, principalmente dos romances que eu escrevo, mas ele também é um blog de variedades e utilidade pública. Então, no post de hoje, vou falar de algo que tem me incomodado muito: o descaso e o estado de abandono dos prédios da Escola Profissional de Menores e da Escola Parque em Jequié-BA.
No passado, os prédios da Escola Profissional de Menores e da Escola Parque  abrigaram e profissionalizaram muitos adolescentes e jovens da cidade de Jequié, mas hoje estão abandonados, servindo de abrigo para mendigos , meliantes e/ou usuários de drogas, provocando a insegurança da população do bairro do Mandacaru que mora em suas proximidades.
  Ambos os prédios citados são antigos, mas também são amplos. Se passassem por uma boa reforma, poderiam ser utilizados para atividades que contribuíssem para o desenvolvimento social da cidade de Jequié. Esta cidade precisa de melhores condições de saúde, educação, lazer, cultura e também da geração de empregos (o índice de desemprego é alto). Quaisquer destas atividades que fossem implantadas naqueles prédios contribuiria muito para melhorar o desenvolvimento socioeconômico da cidade de Jequié.
  Assim, penso que toda a população de Jequié (quem não é desta cidade também pode colaborar de alguma forma) se mobilize para pressionar as autoridades competentes para que tomem as providências quanto a situação destes prédios localizados em Jequié; pois, se eles continuarem como se encontram, darão mais prejuízos ao Estado (do que seu abandono já está dando) e contribuirão para aumentar o índice de marginalidade na referida cidade, bem como para a insegurança da população deste município.
  Creio que toda comunidade jequieense espera providências e um posicionamento das autoridades competentes sobre estes dois prédios. A deterioração crescente destes prédios é o dinheiro público sendo jogado do lixo, o que é inadmissível ocorrer, uma vez que há muitas pessoas neste município precisando de melhores oportunidades de saúde, educação e emprego, dentre outros aspectos que facultam o desenvolvimento humano.  Lembro que dinheiro público é de toda a população. Não pode ser desperdiçado. Deve ser utilizado para propiciar o desenvolvimento social da população.
  A situação destes prédios não é uma indignação só minha, é de toda a comunidade jequiense. É por acreditar que a situação dos prédios da Escola Profissional de Menores e da Escola Parque precisa ser mudada que lancei no Facebook a Campanha:

Salve  a Escola Profissional de Menores e a Escola Parque em Jequié-BA.
Diga NÃO ao desperdício de dinheiro público.
Apoie esta campanha compatilhando este post.

Outros blogs que também falam sobre a situação da Escola Profissional de Menores:

1. Escola de Menores foi invadida.
Acesso: 11/10/2012

2. Mesmo desprezado prédio da antiga Escola de Menores tem boas alternativas de aproveitamento
Acesso em: 11/10/2012

3. Prédio da antiga Escola de Menores aloja andarilhos
Acesso em: 11/10/2012

4. ESCOLA PROFISSIONALIZANTE DE JEQUIÉ CONTINUA ABANDONADA
Acesso em: 11/10/2012

De antemão, agradeço a todos que apoiarem a campanha! <3

Diana Scarpine

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Literatura: arte, entretenimento e crítica

Como arte que é, a literatura tem entre suas funções entreter o leitor, fazê-lo viajar durante a leitura, dar-lhe prazer e até fazê-lo vivenciar, através das letras, situações que ele não viveria em sua realidade cotidiana. Esta é uma característica muito importante, pois a literatura deve ser também uma forma de espairecer, descansar. Eu mesma costumo utilizar a leitura como fonte de descanso e para tentar me desconectar, momentaneamente, dos meus problemas. Percebo que, na atualidade, muitos escritores e leitores focam nisso: literatura como entretenimento. Durante muitos anos, eu também me foquei nisso, principalmente como leitora. Mas a literatura não é só isso.
Por ser arte, literatura também tem que ser crítica e contestatória, tem que mostrar a realidade dentro da ficção, discuti-la, debatê-la, fazer com que o leitor reflita sobre ela; pois a literatura também é formativa, tem um apelo e uma importância social muito grande. A literatura também é o retrato de um povo, um instrumento de luta, de protesto, de conscientização social. Muitas vezes, ela contém em si um grito que precisa ser ouvido. Um grito que não é apenas do escritor, mas da realidade em que ele vive ou que ele observa e que se utiliza da voz dele para tornar-se ouvido, notado; pois, a partir daí, ele chama outras pessoas à reflexão, à luta, constrói subsídios para que a realidade mude.
Desejo que nós, escritores, nunca nos esqueçamos dessa função social tão importante da literatura, que sempre nos façamos instrumento para que o grito de luta e protesto chegue a mais ouvidos e fortaleça-se para promover a mudança! <3
Diana Scarpine

sábado, 6 de outubro de 2012

A vida

Nesta noite, preferi compartilhar com vocês o produto das minhas reflexões esta semana. <3